Bertoni

1777 – 1853
Fundador da Congregação dos Sagrados Estigmas

Nascido em Verona, cidade do norte da Itália, em 9 de outubro de 1777, viveu em uma época em que a cidade era palco de constantes conflitos entre os franceses e austríacos, que disputavam a sua posse.

Como conseqüência, a cidade curtia as amarguras da fome e dos desmandos da libertinagem; os feridos lotavam os hospitais, as crianças pobres não tinham escola, a juventude estava desorientada e esquecida, e até o próprio clero sofria as influências daquele ambiente nada salutar.

Nesse contexto o jovem Gaspar cresceu, enfrentando ainda alguns dramas familiares, como a morte de sua única irmã, mais nova, a incapacidade do pai de administrar os bens da família, e por fim a separação dos pais, decidida de comum acordo entre eles.

Por sugestão de seu pároco, da Paróquia de San Paolo, entrou para o Seminário e, em 20 de setembro de 1800, quando estava com quase 23 anos de idade, era ordenado sacerdote, ao som de tiros de canhão.

Ainda como seminarista ele já se dedicava aos doentes, e cedo também começou o seu trabalho com a juventude, resgatando-a daquele ambiente hostil da cidade. Esse trabalho foi tão frutuoso que ele chegou a ser reconhecido como "Apóstolo dos Jovens".

Convocado por seu bispo para resgatar a dignidade do clero, aí também realizou um excelente trabalho, a ponto de o Seminário passar a ser notado como exemplo de ordem e disciplina, e os padres e seminaristas como modelos de dedicação e serviço.

Pe. Gaspar revelou-se, também, notável conselheiro. Pessoas dos lugares mais distantes, governantes e até seu próprio bispo procuravam-no para um aconselhamento.

Chamado a colaborar nas missões populares na Paróquia de San Fermo, ele também foi excelente pregador, tanto que chegou a receber da Santa Sé o título de "Missionário Apostólico".

Mas havia ainda uma grande obra para a qual Deus iria chamá-lo a realizar, e que, aos poucos, foi se delineando para ele: a fundação de uma congregação religiosa.

Naquela época, as ordens religiosas eram perseguidas e até suprimidas. Eram proibidas reuniões ou quaisquer agrupamentos, tidos como possíveis indícios de rebeldia e oposição aos "patrões" da cidade, que se revezavam entre franceses e austríacos.

Mas Pe. Gaspar, inspirado por uma visão diante do altar de Santo Inácio de Loyola, fundador dos jesuítas, ordem cuja supressão vigorava naquela época, passou a perceber, aos poucos, a vontade de Deus para a realização deste corajoso projeto.

Em 4 de novembro de 1.816 ele entrou com alguns companheiros em um prédio que lhe fora destinado inicialmente a servir de escola. Esse prédio era anexo à Igreja dos Estigmas, que tinha esse nome por ser dedicada às chagas, ou estigmas, de São Francisco de Assis.

Assim, além da escola, naquele ambiente de pobreza e penitência nascia, também, uma ordem religiosa que, após a morte de São Gaspar, recebeu o nome de "Congregação dos Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo", popularmente conhecida como "Estigmatinos".

Inspirado no título com que fora agraciado pela Santa Sé e no reconhecimento que tinha para com a autoridade dos bispos, que são os sucessores dos apóstolos, a quem Jesus deu a missão: "Ide e ensinai" (Cf. Mt 28,19), ele assim definiu a finalidade de sua congregação: "Missionários Apostólicos em auxílio aos Bispos".

Pe. Gaspar dedicou toda a sua vida a fazer sempre a vontade de Deus. Apoiado na oração, ele sempre conseguia perceber e tudo realizar segundo a vontade de Deus.

Desde os seus 35 anos de idade enfrentou sérios problemas de saúde, que antes o levaram à beira da morte, e depois o mantiveram preso ao leito durante grande parte de sua vida, suportando terríveis dores e sofrimentos, mas sem que uma queixa saísse de seus lábios.

Fez de suas enfermidades instrumentos de redenção e louvor a Deus. Chamava-as de “Escola de Deus”: são ocasiões que nos dá a misericórdia de Deus para perdoar muitas faltas que cometemos e não fazemos penitência. Devemos vivê-las na perspectiva da fé, como uma luz religiosa, pois Deus quer a nossa salvação também através da doença e, como conseqüência, do sofrimento.

De seu leito de dor continuou suas atividades como mestre, pregador de exercícios espirituais e sobretudo como conselheiro dos que a ele acorriam. Todos os que o consultaram (bispos, magistrados, sacerdotes e fiéis) admiravam-se pela sua sabedoria, e de comum acordo o consideraram como "Anjo do Conselho". 
Muitos doentes que ele abençoou foram curados, e depois de sua morte ainda outros milagres já foram registrados por sua intercessão ou pelo contato com suas relíquias.

Pe. Gaspar morreu santamente no dia 12 de junho de 1.853, aos 76 anos incompletos, e foi canonizado pelo Papa João Paulo II em 1 de novembro de 1.989, no dia da festa de "Todos os Santos". Os milagres para o seu processo de beatificação e canonização foram realizados no Brasil, nas cidades de Rio Claro e Rio de Janeiro.

Sua festa litúrgica é celebrada em 12 de junho.

Relíquia São Gaspar Bertoni

 

Em junho de 2010 recebemos a visita da relíquia de São Gaspar Bertoni!

As relíquias dos santos são para nós como um documento tangível de sua vida espiritual enquanto nos mostram de que modo alcançaram uma perfeição tal que lhes valeu a canonização (ou beatificação) e o culto público. Não há dúvida que tudo isso constitui um grande incentivo para a perfeição da vida espiritual.

«Só é lícito venerar, mediante culto público, aqueles servos de Deus que foram inscritos pela autoridade da Igreja no catálogo dos Santos ou dos Beatos (CDC 1187)».

Parte do cérebro de São Gaspar Bertoni que a terra não absorveu foi preservado, posto em um relicário que fica guardado em Roma. Relíquia é um objeto reservado para efeitos de veneração no âmbito de uma religião, normalmente, uma peça associada a uma história religiosa. Podem ser objetos pessoais ou partes do corpo de um santo ou personagem sagrada.

Referente às festas dos santos, valiosa a contribuição registrada na Constituição Conciliar Sacrosanctum Concílum sobre a Sagrada Liturgia, nº 111:

«A Igreja, segundo a tradição, venera os Santos e as suas relíquias autênticas, bem como as suas imagens. É que as festas dos Santos proclamam as grandes obras de Cristo nos seus servos e oferecem aos fiéis os bons exemplos a imitar».

São Gaspar Bertoni nasceu no dia 09 de outubro de 1777, filho de Luis Bertoni e Brunora Ravelli, na cidade de Verona, hoje Itália, naquela época pertencente à República de Veneza.

Bertoni cursava o 1º ano de teologia quando a sua cidade fora invadida pelo exercito Francês em 01 de junho de 1796. O desenvolvimento socioeconômico da cidade ficou prejudicado, frustrado pelas interferências militares que só provocaram sofrimento à cidade e ao povo. Doentes e feridos foram assistidos por Gaspar, ainda seminarista.

Ordenado sacerdote em 1800, encarregado de trabalhar com a juventude da sua paróquia, tendo como base a sua capacidade de organização, dedica-se aos trabalhos nos mais variados setores: Oratórios Marianos, hospitais da cidade, presença nos seminários como diretor espiritual no acompanhamento do jovem clero, púlpito [pregações] e cárceres.

Passou por grave enfermidade em maio de 1812, mas superou esta fase como que por milagre. O santo abandono sempre pautou a sua vida. Abandono é entrega total, sem nenhuma reserva, da pessoa a Deus e aos seus planos. O marco referencial que se tem para isso é o próprio Jesus Cristo, que se entregou à vontade do Pai a sua vida inteira.

«Chi è attratto dallo Spirito a vivere con più radicalità, com´è l´abbandonarsi completamente in Dio, non deve risentirsi se altre persone di minor virtù si attaccano a mezzi più bassi, ma ugualmente buoni. (MP. Ottobre - 1808)».

Com apenas 40 anos de idade, no dia 4 de novembro de 1816, fundou a Congregação dos Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo. Não se mede a sua capacidade e bagagem para tal empreendimento, caracteriza-se como algo incomum, haja vista, sua juventude dedicada generosamente ao apostolado, sua espiritualidade e sua capacidade intelectual.

Nutriu grande devoção aos Santos Esposos, Maria e José, padroeiros da Congregação dos Sagrados Estigmas. Faleceu santamente às 15h30 do domingo, dia 12 de junho de 1853.

Os Estigmatinos marcam presença significativa nos cinco continentes. No dia 02 de dezembro de 1910, aportaram em terras brasileiras. Assim, estamos celebramos o centenário da chegada dos primeiros missionários no Brasil, com o slogan: “Do coração de São Gaspar se acendeu uma luz para o Brasil”, terra em que brotaram os milagres que elevaram Gaspar Bertoni às honras do Altar.

Hoje, vários Estados do nosso país são contemplados com a atuação missionária destes religiosos e sacerdotes.

A paróquia de São Benedito, Campinas, pauta-se pela espiritualidade de São Gaspar Bertoni, desde o ano de 1926, quando aqui chegaram os padres Fortunato Mantovani, primeiro reitor, auxiliado por padre Júlio Sief e Irmão Luiz Abram.

A Relíquia de São Gaspar ficou exposta para a veneração dos fiéis de 12 a 17 de Junho de 2010

 

 

 

Melhor resolução 1024x768 - Copyright © 2015 Paróquia São Benedito - Centro - Campinas. Todos os direitos reservados - Desenvolvido por: MsJ Produções Artísticas